POIZÉ

CÔNCAVAS E CONVEXOS

8/6/2011

No lançamento deste famoso site, um protagonista masculino perorou: "Vamos jogar esse trem no ar amanhã mesmo e depois a gente manda bala" - flamejava. Com voz aveludada, uma fêmea ponderou: "Calma, calma, meu anjo, agora é que temos de ir devagar, cuidando dos acabamentos; mês que vem faremos uma cerimônia de lançamento". Sedução e conquista, côncavas e convexos expondo seus pendores para dar à luz uma cria comum. Bonito de se ver.

 
Um é fazer, ação, ato, caça - conquista; o outro estar, acolhimento, contato, continuidade, caverna - sedução. A criatividade, por exemplo, seria um puro elemento feminino mas que para ser expressado necessita de uma ação criativa - masculina; assim, a criatura é o fruto desse engendramento. Esses elementos: o puro feminino e o masculino (no dizer de Winnicott) necessitam estar compostos e integrados gradativamente em cada ser humano - eis uma importante questão comum aos dois gêneros.
 
 
 
Não se trata de sexo somente, embora neste mister estas características estejam sobejamente expressadas. E a paixão amorosa, o enamoramento, "... é o estado nascente de um movimento coletivo a dois"*, dito de outra forma no belo poema do Jabor, cantado pela Rita Lee: Sexo e Amor.
 
 
 
 
Fundamental integração de elementos no psico-soma e, sem dúvida, na vida social.
 
Como brincar também é importante, uma piadinha singela: O natural de um certo estado com fama de machista disse: "Lá no Rio Grande todo mundo é macho". O minerim redarguiu: "Lá em Minas só a metade, mas se vive muito bem." O ser entretanto é múltiplo e em suas apresentações e representações. Todos temos espículas e grutas, e somos erotizáveis de várias maneiras; assim o decantado e ansiado encaixe pode e tem sido feito de váaaarias maneiras.
 
 
* Francesco Alberoni: "Enamoramento e Amor" e "O Erotismo", são dois belos livros sobre o tema dos gêneros e foram publicados pela ed. Rocco.

COMENTÁRIOS:(0)