POIZÉ

Imprimir

A ESQUINA DAS MULHERES DE DUAS BOLSAS - A ESQUADRILHA ERÓTICA

15/11/2010

Em revoadas lépidas e ondulantes, passam por aquela esquina as mulheres de duas bolsas. Vêm pelos quatro lados e oito cantos: saltos altos, roupas rompantes, cabelos aos ventos, olhares oblíquos, esguias e impecáveis. Ostentam uniformes diversos de instituição muito disciplinante, lá vêm e vão no vai e vem.

 

Cupido e esculpido esmero, (in)sinuantes lindas as cores variadas e raças - e sempre lá a marca fatal: as duas bolsas. Fascínio, prenhe e atordoante emblema.

 

Do nada, surgem aos pares, trios, e outras mais impavidamente sós. Não estão em formação, mas a pompa, o andar em revoada, a incisiva determinação, além da aparição simultânea em momentos ímpares e estranhamente aleatórios, revela-se uma inquietante ordem unida.

 

A cada revoada instala-se na esquina um espasmo de silêncio, tempo em suspensão, ar sem vento, embriaguez de luxúrias adiadas, feromônios. Respirações suspensas, olhares furtivos, fescenino compasso de espera e, por fim, desagüe, suspiros gerais, uma ou outra expressão explosiva, uivos eventuais uivos, e os sorrisos de mona lisa espelhados nos rostos dos homens - algo que não se dissipa. Pasmo e desdém de inveja nas damas. Em todos eles, nas comuns e nas outras, certa zombaria.

 

O que conterão as bolsas?

 

Mulheres de vida fácil, dizem. Os sonhos ardem, os pensamentos corroem, o corpo clama – gemem em surdo os homens. Não só os homens. Ontem mesmo ouvi a expressão sincera de uma garota: “O que é isso, meu Deus, caí no paraíso?!”

 

Mulheres de vida fácil. Dizem que espalham segredos, espocam piruetas, zombam do interdito, e outros demônios. Encantadas sereias, sublimes, prometem encantos. Fascinação simultânea de virgens desfloráveis e mães zelosas, disponíveis ao estalar dos desejos, pense bem. Outros dizem que sabem os cantos das cavernas mais recônditas – guardam o poder do abismo, da prisão e das liberdades infinitas. 

 

Tudo simples e misterioso. E passam por lá. A esquina, já muito viva, torna-se luxuriante ao passar das mulheres de duas bolsas.

COMENTÁRIOS:(2)

  • 22/11/2010 18:49:33
    Nome:JOÃO PEDRO
    Comentário:O endereço, quero o endereço.

  • 22/11/2010 23:12:27
    Nome:ANDREA
    Comentário:Também quero me encontrar nestas esquinas. Onde é mesmo?

Envie seu comentário

voltar

Irmãs Ross...Uma relíquia
Fantásticas, famosas na época.

.

Psicotramas

16/08 - Lançamento do livro Crônica de uma Ilha Vaga
Núcleos de Formação Permanente no CEP

Psicorama © - Todos os Direitos Reservados
psicorama@psicorama.com.br

MFSete