PERGUNTE AO PSI

Data: 25/7/2009
Nome: Elizabeth
Pergunta: Sou pedagoga interessada em temas tratados aqui no site e gostaria que vocês respondessem duas perguntinhas, segundo a abordagem psi: 1) Até que ponto a educação é um instrumento para a formação de homens virtuosos e sábios? 2) Vocês acham possível, que os educadores, desenvolvam nos alunos uma consciência ética e também a capacidade de apreciar as coisas boas da vida? abçs e obrigada
Sexo: Feminino
Idade: 47
Estado: PR


Resposta:

Cara Elizabeth,

Antes de tudo, obrigada pela sua visita!
 
Vamos lá: você sabe que para nós do “mundo psi” alguns conceitos como: “virtuoso”, sábio”, “coisas boas da vida”, “consciência ética”, são sempre um pouco perigosos quando utilizados. Partindo da premissa da singularidade, corremos sempre algum risco quando os usamos achando que todos lhes atribuem o mesmo sentido, embora, evidentemente haja alguns significados universais, do contrário, o que seria dos dicionários, não é mesmo?

Freud nos falou da possibilidade de uma Educação “massificadora e doutrinadora” da moral burguesa de sua época. Hoje parece que poderíamos acrescentar outro perigo: a “Kapitalização” do conhecimento: ensina-se o que se convém, e muitas vezes, não se ensina nada.

Entendo que processo de aprendizagem deva privilegiar o questionar, o duvidar, o refletir, transformando esse mesmo processo num ato investigativo prazeroso e enriquecedor. Parece que estamos um tantinho longe disso, não? Com salas de aula em que 40 alunos ou mais devem aprender qual o quadradinho certo para colocar o X... Acaba que diante dessa “tarefa hercúlea” grande parte das crianças recebe o diagnóstico de “hiperatividade”, a ‘bola da vez’, e a tal aquisição de conhecimento vai rolando ladeira abaixo.

Nós mesmos, por exemplo, tivemos aqui no Brasil o brilhante Paulo Freire, mas veja só que curioso: seu método não vingou! Por que será? Pausa para reflexão...

De qualquer forma, como diz o dito popular: “nem tudo está perdido!” Do contrário não estaríamos aqui discutindo e pensando sobre esses temas. E me parece que a Educação é sim o instrumento mais adequado para que através da troca de saberes entre educadores e educandos, a tal “consciência ética”, independentemente de significar exatamente a mesma coisa para cada de um nós,  possa aflorar e nortear a postura desses novos cidadãos brasileiros!

O convite é arregaçar as mangas, respirar fundo e enfrentar essa fera chamada Educação, que, aliás, lá no Houaiss (uma daquelas fontes de significados universais, lembra?) o verbo educar corresponde a: “dar a alguém todos os cuidados necessários ao pleno desenvolvimento de sua personalidade”. Difícil? Acho que sim. Impossível? Acho que não!
 
Continue nos visitando!
Saudações da
Equipe Psicorama

 
Loredana Barale é Psicóloga, Tradutora e está cursando Psicanálise no Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae.

Nome: Loredana Barale
E-mail: psicorama@psicorama.com.br

voltar

Irmãs Ross...Uma relíquia
Fantásticas, famosas na época.

.

Psicotramas

16/08 - Lançamento do livro Crônica de uma Ilha Vaga
Núcleos de Formação Permanente no CEP

Psicorama © - Todos os Direitos Reservados
psicorama@psicorama.com.br

MFSete