OLHO VIVO

Imprimir

NO FILME C.R.A.Z.Y. PODE-SE PERCEBER TANTO A CIRCULAÇÃO COMO A OBSTRUÇÃO DO DESEJO NUM DETERMINADO GRUPO FAMILIAR

8/12/2010

Personagens, cenário e contexto básico

 

O personagem principal, Zachary Beaulieu, nasceu no dia de Natal de 1960, numa cidade interiorana do Canadá, sendo o quarto filho de uma família pequeno-burguesa, constituída de pai, mãe e cinco irmãos (todos homens).

 

Já no seu nascimento, apresenta complicações médicas graves e precisa ir para uma UTI onde permanece vários dias. Sua recuperação é tida como “milagrosa”, o que, somado ao fato de ter nascido numa noite de natal e, além disso, possuir uma mecha de cabelos brancos na nuca, sedimenta uma crença familiar de que ele tenha algum tipo de destino especial, divino.

 

O pai é um representante típico do poder dominante (macho, branco, cristão, operário-padrão) que gaba-se de ter gerado somente filhos homens por “excesso de testosterona”. Aparentemente destoante deste comportamento, mas, compreensível como uma espécie de compensação a esse machismo exacerbado, é um colecionador de discos raros e tem veneração por um deles, de uma cantora que teria sido uma espécie de diva da música francesa, cuja chanson mais adorada por ele tem um nome em inglês “Crazy”.

 

A mãe também é uma representante típica da dona-de-casa submissa, doce, terna, extremamente católica com algumas inserções sincréticas e visitas a uma vidente que vende tuperware. Insiste com o filho Zach que ele também consulte a vidente afim de que esta confirme o vaticínio da mãe de que ele é possuidor de dons de cura.

 

Seus irmãos mais velhos são: o “intelectual” que usa óculos grossos e lê minuciosamente todos os rótulos dos produtos que existem na casa; o “bad boy” que curte velocidade e violência; o “idiota” que passa o tempo todo tentando fazer graça soltando puns na sala.

 

A história toda transcorre durante os vinte anos de Zach e, portanto, atravessa e é atravessada pelo espírito libertário e transformador das décadas de 1960 e 1970. Os pôsteres em seu quarto, bem como a música que curte (Pink Floyd, Rolling Stones e, sobretudo, a figura andrógina de David Bowie, cuja música “Space Oddity” é dublada pelo personagem central, numa antológica cena, no vídeo acima) vão dando o tom de sua angústia e apontando vislumbres de sua sexualidade.

 

Discurso psicanalítico em cena

 

O primeiro discurso explicitamente psicanalítico dá-se quando o pai o leva a um psicoterapeuta após flagrá-lo numa atitude suspeita com um rapaz sabidamente homossexual em seu carro bem em frente de sua casa. Voltando da sessão, o pai pergunta: “E então? O que ele disse?” E o rapaz apenas repete o que havia ouvido do psicoterapeuta: “Ele disse que o fato de eu ter agido assim dentro do seu carro, bem em frente de casa foi um gesto inconscientemente deliberado, ou seja, eu queria ser flagrado para que isso pudesse ajudar na tomada de consciência da minha homossexualidade, bem como pudesse ajudar a você, pai, para que tomasse consciência da sua”. O pai freia abruptamente o veículo, interrompendo o trânsito, enquanto profere uma série de insultos ao psicoterapeuta.

 

A cena resulta cômica, mas dá o mais claro indício da carga filogenética na composição do inconsciente.

 

A expressão técnica do psicoterapeuta no filme seria a tradução sintética do que Freud teria dito sobre os caminhos tortuosos e velados que o inconsciente lança mão para comunicar o recalcado.

 

Ficha técnica  

Diretor: Jean-Marc Vallée

País: Canadá

Idioma: Francês

Ano: 2005

Gênero: Drama / Comédia

COMENTÁRIOS:(5)

  • 8/9/2013 04:53:30
    Nome:KAEPUMYPO4K
    Site / Blog://www.facebook.com/profile.php?id=100003443382674
    Comentário:Hola Lic.Cristina,tengo 48 anos y hasta hoy nose q es ser feliz.Cuando era nina me sentia sola y muy tsirte.nunca tube amor ni carino de mis padres,con 21 anos fui madre soltera,mi hijo era un regalo de la vida.Cuando tenia 35 anos me case con un hombre q tenia problemas con drogas,este hombre termino con la poca autoestia q tenia,me divorcie,me senti libre de este maltratador psicologico,despues de 3 anos conosi un hombre un buen hombre muy joven y con una buena profecion.nunca le crei q me queria.le ostige le trate terrrible tube una obsecion, cuando un dia no me escribia lloraba,siempre esta muy tsirte,mate su amor despues de 6 meses todo termino,yo perdi las ganas de vivir.Ahora estoy en terapia,las ganas de quitarme la vida se fue,por momentos siento la vida,.pero mi alegria no regresa,el miedo como tratar a un hombre no se va.Gracias x su ayuda.Saludos Cordiales

  • 9/9/2013 08:22:37
    Nome:QRGGOKOBG4VS
    Site / Blog://www.facebook.com/profile.php?id=100003443965355
    Comentário:ola meu nome e Dayana Leal e eu acho (nao tenho creteza ainda) q sofro de uma doene7a pouco "//zbbtpnez.com">conhiceda que e o toc(transtorno obssesivo compulsivo) tenho isso a bastante tempo so q nao sei exatamente como me curar sofro de mais tentando ser uma pessoa normal e nao consigo fico com preguie7a e me sinto indisposta para fazer as minhas obrigae7oes nao moro com a minha mae moro com o meu pai desde pequena e fui criada pelo meus avos a minha avo morreu eu tinha 2 aninhos de idade e eu sinto uma enorme saudade dela apesar de nao te-la conhecido e ela infelizmente morreu no dia do meu aniversario e sempre um choc pra mim comemorar um dia feliz q e ome aniversario mais tbm um dia triste q e a sua morte mais mudando de assunto qro muito ser curada desse transtorno que eu tenho sinto vergonha de mim e dessas minhas manias.. agr estou tentando mudar mais e ainda um obstaculo na minha frente por favor me de uma resposta me ajude sera q tem cura ou eu vou morrer assim?

  • 9/9/2013 15:52:43
    Nome:TE0PGV9KXFEI
    Site / Blog://www.facebook.com/profile.php?id=100003443965173
    Comentário:Saludos Marian.Me da mucho gusto saber que has estado tomnado psicoterapia y que hayas mejorado. Lo que has vivido no es algo fe1cil y tomare1 tiempo entenderlo, resolverlo y cambiar, ya estas en camino lo cual debe de hacerte sentir orgullosa de ti misma. No es fe1cil reconocer que necesitamos ayuda.Gracias por visitar nuestra pe1gina,Lic. Cristina Kennington //vafpex.com [url=//hgtdexwe.com]hgtdexwe[/url] [link=//tuzdkhhdzgc.com]tuzdkhhdzgc[/link]

  • 9/9/2013 21:11:37
    Nome:7BA4U8OF4
    Site / Blog://www.facebook.com/profile.php?id=100003443480496
    Comentário:Aos psicf3logos que participaram do "//wfhayyq.com">prmargoa do dia 27/11/12: Me formei em Psicologia, mas ne3o me identifiquei muito com a clednica. Atualmente trabalho como auxiliar de vendas numa fe1brica, mas estou desmotivada, pois o sale1rio e9 baixo e fico pensando se o meu esfore7o em ter feito uma faculdade ne3o foi em ve3o. Acho muito interessante trabalhos de psicf3logos com desenvolvimento de pessoas, orientae7e3o profissional e afins. Tenho como hobby trabalho com artesanato e cheguei a fazer curso de Arteterapia me identificando mais com a arte como forma das pessoas se expressarem e se desenvolverem do que propriamente com a terapia. Sinto bem confusa. Como poderia aliar estas e1reas e habilidades? Ou que rumo tomar? Gostaria de uma orientae7e3o. Desde je1 agradee7o e que Deus lhes ilumine!

  • 10/9/2013 04:28:42
    Nome:EBVOAGV0EAW
    Site / Blog://www.facebook.com/profile.php?id=100003444024760
    Comentário:Jul10norma Nando,Grata (sempre), por esse povo bonito' que o Dharmalog apsternea!Me ocorre: Paideia , gente, a partir dos 07 anos, tambe9m?Fiquem Bem, Norma( a Paideia combinava ethos (he1bitos) que o fizessem ser digno e bom tanto como governado quanto como governante. O objetivo ne3o era ensinar ofedcios, mas sim treinar a liberdade e nobreza. Paideia tambe9m pode ser encarada como o legado deixado de uma gerae7e3o para outra na sociedade. ) Wiki.:)Nac. //iczpsjvozut.com [url=//inmmmbyksz.com]inmmmbyksz[/url] [link=//adwevikfgce.com]adwevikfgce[/link]

Envie seu comentário

voltar

Irmãs Ross...Uma relíquia
Fantásticas, famosas na época.

.

Psicotramas

16/08 - Lançamento do livro Crônica de uma Ilha Vaga
Núcleos de Formação Permanente no CEP

Psicorama © - Todos os Direitos Reservados
psicorama@psicorama.com.br

MFSete