CASOS E CAUSOS

NO CONSULTÓRIO

O LADRÃO DE SI MESMO

Epigramas Terapêuticos

Quando escreveu “Análise Terminável e Interminável”, o velho (e já envelhecido) Freud pareceu um tanto pessimista com o método de investigação e terapêutica que construíra. Afinal, atestava que o procedimento muitas vezes se arrastava e que o mais comum era o paciente continuar repetindo suas aprontações e sofrimentos mais uma e outras vezes.

Pareceu-se-lhe haver nesta compulsão à repetir, algo maligno, quase que irredutível e muito entranhado no ser – o que o levou a reiterar a já concebida pulsão de morte como coisa da natureza humana –, um ser para a morte, com a morte em si já instalada.

Sendo assim, essa pulsão de morte arcáica e instalada, ser de difícil ou improvável supressão. Assim sendo, resignai-vos!



E se pensarmos, entretanto, esse movimento de repetição como algo para a vida: a reinstalação de questões pretéritas com a esperança de achar novas saídas, não mais repetir? Afinal, o que está em questão na psicoterapia não é a constituição de um ser saudável novinho em folha, e sim que o indivíduo ponha as dores em suas mãos, rompa com a paralisia e a repetição e instale o sentimento de estar vivo e buscando viver.

Vejamos um caso singular.

Um paciente aprontou consigo mais uma e outra vez. Seus objetos pessoais não foram encontrados no armário da academia e, pronto, fora roubado. Angústia, corre-corre, lamentações, B.Os, e desespero. De repente, funcionários aparecem com seus documentos e chaves; a câmera de vídeo revelara seu equívoco ao guardar as coisas em outro armário.

Alarmou-se com este equívoco, com o ato falho. E no esforço de elaboração resumiu-se num lamento e lampejo: “O ladrão de si mesmo”. Cai a ficha de toda sua vida.

Ao desvelar nessa epígrafe sua questão essencial – cúmplice e vítima de reiteradas perdas – muito se iluminou. Sarou? Não sei, ainda não; mas alcançou  um caminho para a saúde e sua vida se pôs em marcha...
 
Um ser para a vida.

COMENTÁRIOS:(2)

  • 10/6/2011 21:04:58
    Nome: ANDREA
    Comentário: Voltarem, né? Ainda bem. Sussexo!

  • 1/7/2011 09:47:28
    Nome: LOREDANA
    Comentário: Texto inspirado! E há ladrões e ladrões, não é? Abraços!